Tu que nas margens

Tu que nas margens

TDu, que nas mA7argens do lDago,D7
não buscGaste Emnem sábios nem rAicos,A7
mas só quisDeste A7que eu Te seguDisse.D7
 
SenhGor, EmTu fixaste meus Dolhos,Bm
ternamAente, A7meu nome dissDeste;D7
nesse lGago Emeu deixei minha bDarcaBm
e em TAi — A7encontrei outro mDar
.
 
Tu sabes bem o que tenho
em meu barco, nem ouro, nem armas,
somente as redes e meu trabalho.
 
Tu minhas mãos requisitas,
meu trabalho, que a outros descanse;
minha amizade, que ao mundo abrace.
Sem áudio disponível

Deixe uma resposta