Impele a tua canoa

Impele a tua canoa
Alexandre Reis, Pe. José Nuno [Escutistas, Final, Reflexão]

Não dD9eixes cair teus Em7olhos, não te dF#m7eixes enganG9ar;
D9olha de frente os escAolhos, Bmolha; pAodes encalhG9ar…A

É urgente estar atento, ver p’ra onde corre a maré,
ver de onde sopra o vento; não vás tu perder o pé.

D9B.-P. é quG9em t’o diz, (uo-Aoh):
impele a tF#ua própria canBmoa. — AD9
Se queres mG9esmo ser felAiz,
não te dF#eixes ir à tBmoa,
impele a tAua própria canG9oa,A
impele a tua própria canD9oa.G9

A vida não é deserto, não queiras ficar no cais.
Lenço rubro é o rumo certo, decide tu aonde vais.
Não queiras ficar no cais.

[versão extra-escutista:]

Jesus é quem t’o diz, (uo-oh):
impele a tua própria canoa.
Se queres mesmo ser feliz,
não te deixes ir à toa,
impele a tua própria canoa,
impele a tua própria canoa.


A vida não é deserto, não queiras ficar no cais.
Jesus Cristo é rumo certo, decide tu para onde vais.
Não queiras ficar no cais.

6 comentários a “Impele a tua canoa”

  1. Guitolador:
    Não deves ter reparado, mas a letra é essa mesma que tu indicaste.
    A parte que leste e à qual deste atenção é, como está expresso, uma versão extra-escutista, para aqueles que gostam da música e que, obviamente não são escuteiros ou pretendem usá-la em ambientes não escutistas.

Deixe uma resposta