Em Teu altar

Em Teu altar
Tarcízio Morais [Ofertório]

||: Em teu altDar, SenhBmor, recGebes os nossos dA7ons,
Que se vF#mão transformBmar em tGeu alimento para nA7ós :||
Milagre de amGor. D

OferGeço-te a fome e a sA7ede que tenho de tBmi
E a ternGura de sempre sentA7ir o teu abraço de pBmaz
EntrGego agora todo o meu sA7er
Para que seja o teu fermB♭ento a levedCar este pDão
E me transfB♭orme por ti em dom da vCida entregue a meus irmA7ãos.

Ofereço te as vozes do mundo que sopram sem distâncias
E esta voz que em meu coração segreda teu nome
Desfaço as teias do medo
Que encerram egoísmos e falta de perdão
Porque agora é tempo de boa nova e do partir do pão.

Ofereço te o pulsar das nossas vidas, sinal do teu amor
E a alegria de sentir tuas carícias de silêncio e perdão.
Entrego-te as minhas mãos
Que no restolho desta vida querem semear teu trigo
Capaz de construir o teu Reino de verdade e comunhão.

8 comentários a “Em Teu altar”

  1. Penso que já me ofereci ,o ano passado, para passar para a pauta musical, as músicas que ainda não tiverem em pauta. Hoje, só precisava para «estudar» para a missa de amanhã, que vou acompanhar a tocar, «A salvação do Senhor». Mas estou a ver que não me podem ajudar!Nem está no meu «Cantemos todos». Aprendo à hora da missa, que não gosto, porque prefiro estudar com tempo. Obrigada!Quando souber, mando-vos.Até Breve! e Bom Ano!!!

  2. Em teu altar, Senhor
    Recebe os nossos dons,
    Que se vão transformar
    Em teu alimento para nós 2x
    Milagre de amor.

    Ofereço-te a fome e a sede que tenho de ti
    E a ternura de sempre sentir o teu abraço de paz
    Entrego agora todo o meu ser
    Para que seja o teu fermento a levedar este pão
    E me transforme por ti em dom da vida
    Entregue a meus irmãos.

    Ofereço te as vozes do mundo
    Que sopram sem distâncias
    E esta voz que em meu coração
    Segreda teu nome
    Desfaço as teias do medo
    Que encerram egoísmos
    E falta de perdão
    Porque agora é tempo de boa nova
    E do partir do pão .

    Ofereço te o pulsar das nossas vidas
    Sinal do teu amor
    E a alegria de sentir tuas carícias
    De silêncio e perdão.
    Entrego-te as minhas mãos
    Que no restolho desta vida
    Querem semear teu trigo
    Capaz de construir o teu Reino
    De verdade e comunhão.

Deixe uma resposta