Um certo galileu




Um certo galileu

Pe. Zézinho [Final]

Um certo dia à beira-mar
apareceu um jovem galileu
ninguém podia imaginar
que alguém pudesse amar
do jeito que ele amava.
Seu jeito simples de conversar
tocava o coração de quem o escutava.

E seu nome era Jesus de Nazaré,
sua fama se espalhou e todos vinham ver.
O seu nome era o do jovem pregador
que tinha tanto amor.

Naquelas praias, naquele mar,
naquele rio, em casa de Zaqueu,
naquela estrada, naquele sol
e o povo a escutar histórias tão bonitas
seu jeito amigo de se expressar
enchia o coração de paz tão infinita.

Em plena rua, naquele chão
naquele poso em casa de Simão.
Naquela relva ao entardecer
o mundo viu nascer a paz duma esperança
seu jeito puro de perdoar
fazia o coração voltar a ser criança.

re la
Um certo dia à beira-mar
re
apareceu um jovem galileu
la
ninguém podia imaginar
que alguém pudesse amar
re
do jeito que ele amava.
la
Seu jeito simples de conversar
re
tocava o coração de quem o escutava.

re7 la
E seu nome era Jesus de Nazaré,
la7 re sol la
sua fama se espalhou e todos vinham ver.
re la
O seu nome era o do jovem pregador
re la re
que tinha tanto amor.

Naquelas praias, naquele mar,
naquele rio, em casa de Zaqueu,
naquela estrada, naquele sol
e o povo a escutar histórias tão bonitas
seu jeito amigo de se expressar
enchia o coração de paz tão infinita.

Em plena rua, naquele chão
naquele poso em casa de Simão.
Naquela relva ao entardecer
o mundo viu nascer a paz duma esperança
seu jeito puro de perdoar
fazia o coração voltar a ser criança.



3 thoughts on “Um certo galileu”

    1. O que queres dizer é que não tocas no tom indicado. Como é natural, em qualquer música, o executante transpõe para a amplitude vocal em que se sente mais à vontade (no teu caso, para os acordes em que te sentes mais à vontade).

Deixe uma resposta