Canta amigo canta

Canta amigo canta
António Macedo [Animação]

Canta, canta, amigo canta,
vem cantar a nossa canção.
Tu sozinho não és nada,
juntos temos o mundo na mão.

Erguer a voz e cantar, é a força de quem é novo.
Viver sempre a esperar, fraqueza de quem é povo.
Vives em casa de tábuas, em busca dum novo dia,
enquanto que a terra engole, a tua antiga alegria

O teu mundo é um barco, que não tem leme nem velas,
a tua vida é uma casa, sem portas e sem janelas.
Não vás ao sabor do vento, aprende a canção da esperança.
Vem semear tempestades, se queres colher a bonança.

Cristo chamou-te à vida, para viveres o amor,
compensando na alegria, doutros trazer ao Senhor.
Bom rapaz e rapariga, é necessário ir pró mundo,
em busca de boa espiga, lançar a semente ao fundo.

Tu que me chamas amigo, prova-me lá o que és,
vem para a ceifa comigo, na terra sujar os pés.
Eu vou contigo pró campo, eu vou comer do teu pão,
Tu dás-me a força da vida, e eu dou-te a minha canção.

si- mi-
Canta, canta, amigo canta,
la re
vem cantar a nossa canção.
si- mi-
Tu sozinho não és nada,
fa# si-
juntos temos o mundo na mão.

mi- la re
Erguer a voz e cantar, é a força de quem é novo.
si- mi- fa# si-
Viver sempre a esperar, fraqueza de quem é povo.
mi- la si-
Vives em casa de tábuas, em busca dum novo dia,
mi- fa# si-
enquanto que a terra engole, a tua antiga alegria

O teu mundo é um barco, que não tem leme nem velas,
a tua vida é uma casa, sem portas e sem janelas.
Não vás ao sabor do vento, aprende a canção da esperança.
Vem semear tempestades, se queres colher a bonança.

Cristo chamou-te à vida, para viveres o amor,
compensando na alegria, doutros trazer ao Senhor.
Bom rapaz e rapariga, é necessário ir pró mundo,
em busca de boa espiga, lançar a semente ao fundo.

Tu que me chamas amigo, prova-me lá o que és,
vem para a ceifa comigo, na terra sujar os pés.
Eu vou contigo pró campo, eu vou comer do teu pão,
Tu dás-me a força da vida, e eu dou-te a minha canção.

Deixe uma resposta